13/11/19

A nova "presidente" da Bolívia

Jeanine Añez Chavez tomou posse como presidente da Bolívia ("presidente constitucional", como ela se proclama no Twitter); diga-se que a constituição boliviana não é muito clara sobre o que acontece se o presidente, o vice-presidente, o presidente do senado e o presidente da câmara dos deputados se demitirem[pdf] (e de qualquer maneira a reunião do parlamento em que ela assumiu o cargo não tinha quorom porque os deputados do MAS não participaram):
En caso de impedimento o ausencia definitiva de la Presidenta o del Presidente del Estado, será reemplazada o reemplazado en el cargo por la Vicepresidenta o el Vicepresidente y, a falta de ésta o éste, por la Presidenta o el Presidente del Senado, y a falta de ésta o éste por la Presidente o el Presidente de la Cámara de Diputados. En este último caso, se convocarán nuevas elecciones en el plazo máximo de noventa días (artº 169º, ponto 1).

Parece que o tribunal constitucional da Bolívia disse que a posse dela era legítima, mas a esse respeito já alguém escreveu "A constitutional court also said Morales could run again in spite of an obvious constitutional prohibition against it. I'm not sure Bolivia's constitutional court is doing the best job checking the power of the presidency."

Alguns comentários que li por aí à sua posse:
Além disso, consta que ela terá publicado isto no Twitter (e posteriormente apagado):

É possível que isto seja fake, já que não se encontra o original em lado nenhum; num entanto, usando a Wayback Machine é possivel recuperar este tweet dela, também apagado, onde ela me parece associar o ano novo aymara ao satanismo: