26/09/17

Com nações e bolos…

Uma coisa é combater o nacionalismo e o autoritarismo do Estado espanhol, praticando democraticamente a luta pela democracia — outra, muito diferente e contrária, canalizar em benefício  de outro nacionalismo a revolta contra aqueles. E o que vale para o caso de Espanha, vale também no caso da UE: uma coisa é combater pela democratização das relações de poder que a comandam e nos expropriam do exercício pleno e governante de uma cidadania governante e plena, outra — muito diferente e contrária — é apontar como alternativa ao seu establishment a decomposição da UE em novos e/ou velhos Estados-nação reforçados e ressacralizados. Todo o nacionalismo é, por definição, antidemocrático e anti-igualitário. E a "esquerda" que aposta na renacionalização e ressoberanização dos poderes estatais na UE torna mais fáceis as coisas ao nacionalismo e à xenofobia e ao anti-igualitarismo inerente às "preferências nacionais".

3 comentários:

jose guinote disse...

Meu caro Miguel parece haver à esquerda quem utilize os nacionalismo emergentes como um instrumento útil para promover o desmantelamento da UE, uma fixação que os cega. Ignoram, ou pretendem ignorar, as forças que estão a libertar, forças essas que serão incapazes de controlar num futuro próximo.
Quem assim actua, no caso espanhol, coloca-se, paradoxalmente, no mesmo plano de Rajoy.

pvnam disse...

NACIONALISTAS EUROPEUS: RETIREM AS PALAS DE BURRO QUE TÊM ENFIADAS NA CABEÇA!
.
---»»» Reconheçam que o problema é global: QUALQUER POVO AUTÓCTONE do planeta que queira ter o SEU espaço no planeta, que queira sobreviver pacatamente no planeta, que queira prosperar ao SEU RITMO... corre sérios risco de levar com um genocídio em cima!
Um exemplo: em pleno século XXI tribos da Amazónia têm estado a ser massacradas por madeireiros, garimpeiros, fazendeiros com o intuito de lhes roubarem as terras... muitas das quais para serem vendidas posteriormente a multinacionais (uma obs: é imenso o património no Brasil que tem estado a ser vendido à alta finança).
.
.
É NECESSÁRIO MOBILIZAR RESISTENTES AUTÓCTONES DO PLANETA PARA O SEPARATISMO!
(manifesto em divulgação, ajuda a divulgar)
.
.
UM PROBLEMA GLOBAL -» mercenários (ao serviço da alta finança), aspirantes (a donos-disto-tudo) e penduras (lambe-botas) estão repletos de hitlerianismo: não suportam a existência de outros!
[nota: nazi não é ser alto e louro, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros]
.
.
Os MERCENÁRIOS ao serviço da alta finança (capital global) trabalham para a eliminação de fronteiras: a alta finança ambiciona terraplanar as Identidades, dividir/dissolver as Nações para reinar...
.

Os mercenários gostam de evocar (como se tal fosse o único valor existente no planeta) que o SEPARATISMO vai provocar problemas económicas.
Na sua cegueira anti-Trump (tocou no tema-tabu -» fronteiras), os mercenários chegaram ao ponto de andar a evocar a imigração para a América... quer dizer, ao mesmo tempo que eles andam por aí a acusar povos de deixarem 'pegada ecológica' no planeta, em simultâneo, os mercenários revelam um COMPLETO DESPREZO pelo holocausto massivo cometido sobre povos nativos na América do Norte, na América do Sul, na Austrália, que (apesar de serem economicamente pouco rentáveis) tiveram o «desplante»... de quererem ter o seu espaço no planeta, de quererem sobreviver pacatamente no planeta, de quererem prosperar ao seu ritmo.
.
.
ASPIRANTES: pessoal dotado de uma elevada taxa demográfica... ambiciona/aspira ser dono-disto-tudo.
.
.
PENDURAS: na Europa existem muitas comunidades nativas penduras -» não trabalham para a sustentabilidade da sociedade (média de 2.1 filhos por mulher)... penduram-se na boa produção demográfica de outros!
[e mais, os penduras ao mesmo tempo que são contra a repressão dos Direitos das mulheres, em simultâneo, são uns lambe-botas da boa produção demográfica daqueles que tratam as mulheres como 'úteros ambulantes' - exemplo: islâmicos]
{Os penduras são uns lambe-botas dos aspirantes a donos-disto-tudo e da alta finança}
.
.
.
---»»» Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
-» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
---» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
Nota: Os Separatistas-50-50 não são fundamentalistas: leia-se, para os separatistas-50-50 devem ser considerados nativos todas as pessoas que valorizam mais a sua condição 'nativo', do que a sua condição 'globalization-lover'.

joão viegas disse...

Ola,

Bom, para não ir mais longe, repare-se que esta Europa imperfeita, insatisfatoria e frustrante de que os adeptos da soberania nacional se queixam tanto, é a Europa construida e querida... pelas soberanias nacionais, e por mais ninguém ! E' que até parece que a Europa que temos resulta de um complô maçonico tramado por diabolicos burocratas caidos do céu...

Convinha talvez deixarmo-nos de tolices. Querem soberania ? Eu também quero, e quero-a popular. A questão é saber como garantir o seu exercicio efectivo. Não ha que escolher entre o poder local, o poder regional, o poder nacional e o poder supranacional. Todos são necessarios, e o aprofundamento salutar de uns serve objectivamente o aprofundamento salutar dos outros. Agora o que é uma perigosa fantaisia, é acreditar que podemos dispensar os poderes e as competências supranacionais ou fazer como se os assuntos supranacionais não nos dissessem respeito. Isto é aceitar uma situação de total alienação, apostando numa estratégia de tipo Albânia de antes da queda do muro ou Coreia do Norte de hoje. Politica da avestruz...

Portanto, meus amigos, tenho pena, mas a equação é simples. Acreditam que a soberania popular fica melhor servida quando as competências supranacionais a nivel europeu são exercidas pelo concerto/desconcerto dos Estados nacionais ? Acreditam mesmo ? Olhem que a Europa que temos hoje é o resultado desse sistema...

Abraços

Abraços