09/06/12

A realidade banida por decreto?


A Carolina do Norte tem uma costa baixa e plana. É assim especialmente vulnerável à subida do nível do mar, que, de acordo com um vasto consenso entre os especialistas, atingirá pelo menos um metro até ao fim do século. Problema bicudo. Solução miraculosa de algumas autoridades locais? Proibir qualquer avaliação desta subida que leve em conta o seu aceleramento nos anos recentes; só serão aceites por lei medições que se baseiem em resultados históricos. 
 Continuem pois a construir à vontade nas zonas ameaçadas, que o mar vai ser proibido por decreto de vos alagar o soalho. Como crianças a erguer castelos de areia na maré vazia; também elas não prevêem a desgraça, mas não haverá birra que a impeça. 
Se até as ciências a sério estão sujeitas aos caprichos de fanáticos com poder, pobres das ciências sociais como a Economia. Aqui, a magia e a superstição campeiam: “O Governo entende que a austeridade na despesa do Estado, sujeita a modelos de eficiência, virá a constituir, a prazo, uma alavanca para a melhoria da produtividade, para o incremento do potencial de crescimento e para a criação de emprego.” É escusado continuar a ler o programa do nosso governo em busca de provas, argumentos, lógica sólida. “Entendeu-se” que será assim e pronto. 
Na Carolina do Norte, quando o pior acontecer será aprovada uma lei para obrigar os cidadãos a desenvolver guelras. Em Portugal, já se recomendou às vítimas da cegueira ideológica que emigrem. Admitir que a realidade afinal não nos obedece? Nunca.

14 comentários:

Zé_Lucas disse...

Bom, está bem, mas então aqueles outros estudos cheios de informação falsa, sobre o agora politicamente incorrecto "Global Warming", que até mudou de nome e tudo, serão de ter mais em consideração? Não era o gelo do Ártico que ia derreter todo ate ao final de 2030? É que, de facto, não se está a negar um furação que está a acontecer, com base em duas semanas de bom tempo, está-se a prever um furacão para daqui a uns anos, porque tem estado um pouco ventoso. Parece-me, mas eu, também. é mais bolos...

Anónimo disse...

Lamento ter que utilizar a opção anónimo para comentar, mas não me deixam outra alternativa. o meu nome é Pedro Nunes.
Posto isto, só queria perguntar em que é que se baseia para afirmar que "a subida do nível do mar atingirá pelo menos um metro (?????) até ao final do século", ainda para mais de acordo com "um vasto consenso entre os especialistas"????? Onde é que foi buscar esta ideia tão disparatada? Pode saber-se? Tanto quanto todos os dados empíricos mais recentes indicam não se verifica nada do que refere.
Obrigado

Luis Rainha disse...

Pode saber, sim senhor: "The conflict has its origins in a 2010 report prepared by the Science Panel on Coastal Hazards appointed by the planning commission. The panel was asked to recommend a planning target for sea level rise through 2100, and "we didn't think that it was prudent to plan for just the historical rate of rise," says Spencer Rogers, a member of the panel and an expert on coastal issues at the North Carolina Sea Grant program in Raleigh. Instead, the group agreed that they should use models showing that global warming could cause accelerated rates of sea level rise, and set a 1-meter rise by 2100 as a realistic planning measure."

O que é disparatado para a sua preclara cabeça parece ser prudente para quem entende mesmo do assunto. Azarito.

http://news.sciencemag.org/scienceinsider/2012/06/legislating-sea-level-rise.html?ref=hp

Anónimo disse...

Obrigado pela sua resposta.
Não podia ter sido mais claro a evidenciar que se baseou apenas num diz que disse:
Spencer Rogers? an expert on coastal issues?
Global warming (isto já não morreu?)
Pérola final:
"the group (!) agreed that they should use models showing (...) accelerated rates of sea level rise (porque é que basear-se em dados científicos sérios se até existem modelos que dizem aquilo que nós queremos, não é?) and set (?) a 1-meter rise by 2100 (porque não 1,5 metros , ou, já agora, outra medida qualquer?
Muito, muito obrigado por ter sido tão esclarecedor. Pedro Preclaro Nunes

Luis Rainha disse...

Veja se entende: trata-se do grupo de cientistas que foi precisamente convocado pelo governo da Carolina do Norte para estimar essa subida. Não tem nada de nada a ver com "diz que disse". Nem com conversa de café, infelizmente para si.

Luis Rainha disse...

Quanto ao aquecimento global, lamento informá-lo de que o mundo não parece muito interessado na necrologia que lhe inflama as meninges. Isto para nossa infelicidade.
É que enquanto uns vão assobiando para o lado, nos EUA as autoridades em estados com costas baixas já se estão a pôr em campo para se precaverem. Devem ser um bando de comunas empenhados em destruir a produtividade com fantasias pseudo-científicas, devem.

Anónimo disse...

Caro Luís Rainha:

Uma vez que parece estar um pouco descontrolado e um pouco confuso em relação ao que são as opiniões de esquerda que defendem precisamente que a sua posição de apoio a uma fraude científica demonstrada como é a hipótese do aquecimento global antropogénico aka alterações climáticas,é muito reacionária, aconselho-lhe a leitura, por exemplo de
http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-01062011-104754/pt-br.php
obrigado pelas palavras amáveis e democráticas.
Pedro Nunes

Anónimo disse...

A realidade também aqui é banida por decreto?

Enviei ontem mais um comentário que certamente não incorria em nenhum dos pecados acima listados como justificadores da sua interdição. Apenas expressava uma opinião diferente da do eminente bloguista L. Rainha.
Ainda não foi publicado. Fica a nota de agradecimento.

Pedro Nunes

Luis Rainha disse...

È pena, mas não pode invocar o martírio da censura. E isso das "opiniões de esquerda" em termos de Ciência comigo valem muito pouco; posso já ter saído do Técnico há uns anos largos, mas sei bem separar fanatismo ideológico de método científico. O que já não me parece que seja o seu caso.
E não vai ser por certo uma tese oriunda de uma "Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas" brasileira a convencer-me de que afinal não existe um consenso alargado sobre o tema, entre os especialistas.

Anónimo disse...

Pois, só é pena que tenha optado pelo fanatismo ideológico em vez de defender o método científico, mas isso é lá consigo, cada um convence-se do que quer. Por exemplo que "consensos alargados" fazem a verdade científica...
Só volto a lamentar a forma pouco delicada como não consegue deixar de emitir apartes ofensivos em vez de procurar simplesmente defender a sua opinião. Passe bem
Pedro Nunes

Anónimo disse...

Afinal parece que sempre há censura...

Luis Rainha disse...

Os "consensos", face aos dados e às simulações disponíveis são a verdade científica do momento; poderá mudar, mas neste caso acho que não vai ter sorte alguma.
Tal como com a auto-vitimização por imaginária censura...

Anónimo disse...

"os dados e às simulações disponíveis são a verdade científica do momento"

Santa ignorância!

Luis Rainha disse...

Ca burro, deus meu. Nem copy/paste você sabe fazer?