18/01/12

"As pontes passam a descontar na férias"

Em muitos sítios se tem dito, a respeito do novo acordo entre o Estado, o patronato e a parte minoritária da burocracia sindical, que "as pontes passam a descontar nas férias".

Meus caros, as pontes sempre descontaram nas férias (tanto no sector privado como na função pública)! A diferença que este acordo introduz é que, agora, os patrões podem obrigar os trabalhadores a meter férias num dia de ponte, em vez de usar esse dia de férias noutra data qualquer (até agora, penso que as únicas empresas que podiam obrigar os seus trabalhadores a fazer pontes eram as de construção civil).

É irónico que, nalguns comentários em fóruns de jornais, apareçam vozes (isto é, letras) a elogiar essa medida em termos "muito bem! precisamos de trabalhar mais", quando, de certa forma, isso até vai fazer com que se trabalhe menos (em termos de dias trabalhados por pessoa, vai-se trabalhar o mesmo; mas em termos de dias em que as empresas funcionam, vai-se trabalhar menos, já que a ideia é exactamente permitir às empresas fecharem nos dias de "ponte").

3 comentários:

Nightwish disse...

Trabalha-se mais, mas trabalha-se pior, porque há aumento de acidentes, cansaço, burn-out, etc.
Não faz mal, que por baixa de produtividade o humano normal pode ser despedido a qualquer hora.

ê cá as últimas férias disse...

foram em 1991 num tanker para a Nigéria 26 dias de férias ida e volta...ódespois foram 3 meses de trabalho a descarregar armazenar e a destilar o pitroil

se estar desempregado são férias...atão tenho tido umas quantas desde 2006 ou 2007...

António Geraldo Dias disse...

Verdadeiros banqueiros de homens,aquilo a que chama
parte minoritária da burocracia sindical pretende entregar a luta dos trabalhadores,quando ela é mais necessária do que nunca -que sirva de lição -acaso ainda fosse necessário.