25/07/11

Ainda o explicador Nuno Rogeiro e o heavy metal ou "não há bombistas maus"

Se é certo que o sono da razão gera monstros não é menos certo que o totalitarismo da razão vigilante gera outros monstros.
A obsessão em procurar "motivações profundas" para os fenómenos sociais e para, a partir daí, estabelecer cadeias racionais de causas e efeitos, pode ser tranquilizadora e capaz de assegurar um sono confiante na benignidade da natureza humana, mas é, de facto, um processo fundamentalmente irracional, quando não, como no caso das "motivações profundas" do terrorismo islâmico (porque há verdade factual e a verdade racional: a ideológica, a antropológica, a psicológica... ), tão-só desculpabilizante.
É assim que um motorista pode embebedar-se e meter-se ao volante sem a mínima percentagem de sangue no álcool, matando uma dúzia de transeuntes, que a culpa não é — ou, nos melhores dos casos, não é totalmente — sua, mas tem origem em razões distantes e, obviamente, "profundas" (problemas familiares, "stress" profissional & por aí fora; no fim, a culpa acaba por cair sempre sobre essa entidade vaga e inimputável que é a "sociedade"). Isto quando, como no recente bárbaro homicídio de um "cronista social", não cai sobre a própria vítima.
A explicação finamente racional do atentado de Oslo e do massacre de Utoya que, "raspando um bocadinho" na sociedade norueguesa, o explicador Nuno Rogeiro deu na SIC foi desta vez tão vertiginosamente "profunda" que chegou ao "heavy metal".
Manuel António Pina, claro.

4 comentários:

O Mal e o Bem são conceitos muy subjectivos disse...

Há bombistas de fim de semana

tal como o pessoal do futebol

utiliza a violência como catarse dos seus problemas político-económico-sociais com uns grãos de religião

ou falta dela

os fanáticos são sempre mais perigosos
dos que fazem do terrorismo uma profissão

tanto nos clubes como nos anarkas gregos

é muyto mal paga

falta de formação profisional suponho

Zé_Lucas disse...

"A obsessão em procurar "motivações profundas" para os fenómenos sociais e para, a partir daí, estabelecer cadeias racionais de causas e efeitos, pode ser tranquilizadora e capaz de assegurar um sono confiante na benignidade da natureza humana, mas é, de facto, um processo fundamentalmente irracional "

Eu pensava que procurar motivações profundas, e estabelecer cadeias racionais de causas e efeitos, fosse uma das coisas que faz de nós animais racionais. Pelos vistos não. Cada vez mais profundo este Pina.

Ana Cristina Leonardo disse...

zé lucas, essa dos animais racionais é tão antiga! E tem justificado cada coisa!

Banda in barbar disse...

Pronto atão fique-se com esta foi repescada

que nã tenho tempo para o andar a assassinar

平成23年7月25日月曜日DO MAU ASSASSINO QUE NUNCA É BOM E DO BOM ASSASSINO QUE NUNCA É MAU
HÁ OS ASSASSINOS QUE ASPIRAM A SER CONSIDERADOS MONSTROS

E OS MONSTROS QUE ASPIRAM A SER CONSIDERADOS HOMENS EXEMPLARES

OS PRIMEIROS GANHAM A CADEIRA ELÉCTRICA OU A FORCA PARA SERVIREM DE EXEMPLO

OS SEGUNDOS GANHAM PÁGINAS OU NOTAS DE RODAPÉ NOS LIVROS DE HISTÓRIA

PELO MESMO MOTIVO DOS OUTROS ASSASSINOS

SÓ QUE POR RAZÕES DIFERENTES

OS PRIMEIROS NÃO DEVEM SER IMITADOS OS SEGUNDOS DEVEM SER ADMIRADOS

平成22年8月25日水曜日حشّاشي,DO NARCO AO ANARCO TERRORISMO E DO PIRO-TERRORISTA AO LUDO-TERRORISTA
Novas formas de assassino emergem no século XXI o eco-assassino e o Ludo-assassino

O Ludita assassina por um motivo válido o Ludo assassina pelo prazer de existir

Tal como o Piro-terrorista esmaga a vida das gentes com um simples fósforo

Matando milhões de vegetais e animais na sua sanha para provar que tem poder

Também o Ludo-terrorista quer mostrar que é o Melhor de todos os assassinos

O que melhor domina o video-jogo da morte

Assim estudantes universitários ou liceais

Preparam matanças solitárias ou em grupo nas Columbines deste mundo

São os Neo-Amok's são os Berserkers da Fé e do Ódio contra uma sociedade

Que não os reconhece Entramos no MODO Berserker

Bons assassínios

E queira Deus que nunca faça dos maus