08/07/11

Pobrezinhos mas honestos versão ou há moralidade ou comem todos

Uma onda de indignação varre o país. Unânime. Patriótica. Viril.
Ricardo Salgado, do enigmático BES, optou pela metáfora e desenhou um cenário de batalha naval com Portugal a levar um "tiro certeiro". António Sousa, da Associação Portuguesa de Bancos, diz que não percebe. Faria de Oliveira, da Caixa Geral de Depósitos considerou-se insultado e clama por moralidade.
Cavaco Silva, que até há bem pouco achava que os mercados, coisa tão ou mais enigmática do que o BES, tinham sempre razão, apela agora à Europa para os pôr no sítio. Durão Barroso, que emigrou para Bruxelas, entre outras coisas por não os ter no sítio, confessou em público o seu pesar: “Estou muito desiludido".
Mira Amaral, ex-ministro da Indústria (ainda haverá indústria?), num momento de radicalidade inaudita, falou em “terrorismo”. Alberto João Jardim foi mais longe e mais claro: na Madeira, os gajos e as gajas da Moody’s não entram mais. Que vão comer favas acaralhadas para a terra deles.
Mal se soube do murro no estômago que acertou Passos Coelho, o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público enviou uma carta aos credores criticando a decisão da Moody’s e garantindo que Portugal vai “cumprir todas as suas obrigações internacionais”.
Os portugueses anónimos, por seu turno, criaram páginas no Facebook e desataram a mandar pelo correio sacos do lixo para a Moody's.
Em resumo, a pátria grita em uníssono: “contra as agências de rating, marchar, marchar!”
É comovente e há já quem diga que os gregos têm os olhos postos em nós.

13 comentários:

Anónimo disse...

Até de Economia e Finanças a secretária/pasteleira sabe. Não há aí um João Gonçalvesque a requesite?

José Barros disse...

A profundidade dos posts da Ana Cristina continua a comover-me... Assim como a ingenuidade de quem a continua a promover - o embuste, convenhamos, é um hábito bem português que esta fura-vidas foi trabalhando.

Anónimo disse...

Gostei! (Que humor, senhores...)

Diogo disse...

Bom post!

O murro no estômago português dado pela Moody’s e a reacção indignada de todos os nossos credores vai tornar-nos mais compreensivos no «honrar as nossas dívidas».

Justiniano disse...

Eu ainda não consegui compreender os limites da personagem mais desprezível da história de Portugal dos últimos 500 anos!!! Haverá limites para o homem BES!? É fuinha, vaidoso, dissimulado!!! A tal Moodys não tem credibilidade nenhuma, é uma evidencia, fosse minimamente atinada e há anos que o tal BES estaria para além do lixo, lixo inqualificável, sequer, como lixo!! Assim fosse e aquele personagem vitriólico há muito que apenas teria antena na rádio micas!!

Anónimo disse...

O velho truque do polícia bom / polícia mau e liminarmente passamos da capitulação resignada ao colaboracionismo militante: Perante o inimigo externo finalmente isolado e identificado, a Troika revela-se como nossa aliada e protectora, pelo que resistir ao programa da Troika será antipatriótico. - Eis o emergente mantra da Direita.


M. J. Heleno

Demo Gra Pia disse...

Curiosamente esta união faz lembrar uma outra há 20 anos

1991 Julho Volvogrado antiga estalinegrado
Quando vai a União soviética retomar o seu papel de representante política das suas populações? Vai esperar que o rublo rebente? Ou mesmo que a própria União colapse?

e estas gentes do sul que nada querem fazer tártaros georgianos etc etc

O capitalismo tem crises
The living marxismo tinha fome de bens...

não há sistemas sociais perfeitos

este tem funcionários a mais
e milhões que não são funcionários de topo
curiosamente parece-se com a união soviética de há 20 e tal anos ou de há 20 tanto faz

não que interesse muito, a única diferença por enquanto é a ausência de golpes de mão políticos de suicídios e de um capitalismo sôfrego que lhe sucedeu

por enquanto o ponto é intermédio

os bancos portugueses vão perdendo os depósitos de muitos europeus

os nacionais não poupam o suficiente para meter lá o que falta

as gentes do estoril compram ouro e baixelas de prata em leilões nacionais e internacionais

e o resto que não é funcionário do estado que se lixe

a única diferença entre a união soviética é que lá eram todos funcionários

lixavam-se os pequenitos

assinado: Doutor Engenheiro Chiquinho da Quimigal

Felizmente não há Luar nem FP 24 de Abril disse...

ou há moralidade ou a américa emite mais 15 milhões de milhões de dólares
em papel selado com o défice a 15% em 2011?

AAAh que é melhor que aaa

esta gente quer voltar ao escudo e em força

Anónimo disse...

então.. ta tudo de férias neste blog?

Anónimo disse...

Lá deu a ACL cabo do Vias. Vivó Gonçalves. Parabéns

Foi tudo ao euromilhões disse...

sempre diminui a dívida

se acertarem claro está

gogol de kapote disse...

a grécia tá ccc

balha-nos zeus....

a eles nem a direita lhes vale

pelo menos por aqui

sempre foi ó inverso

Anónimo disse...

O João Gonçalves também escreve aqui?