01/07/11

Na mouche

Manuel António Pina, uma vez mais (mas nunca devemos cansar-nos de ir semeando aos ventos que por aqui passem a sua lucidez, a ver se o grão pega e, se em pegando, se multiplica e cresce - o que seria, sem dúvida, um acontecimento político maior, como se torna supérfluo demonstrar):

Com o corte de 50% dos subsídios de Natal, o novo Governo tenciona obter 800 milhões de euros, saídos (na verdade nem lá chegarão a entrar) dos bolsos de trabalhadores e reformados.

E para onde irá tanto dinheiro? Com mais 800 milhões poupados em "acomodações" na despesa do Estado que "o senhor ministro das Finanças detalhará nas próximas semanas" (preparemo-nos para o pior, designadamente para mais cortes nos apoios sociais e na saúde), servirá para compensar os 1 600 milhões que o Estado deixará de cobrar com a redução de 4% da TSU das empresas. O que é o mesmo que dizer que 50% dos subsídios de Natal dos trabalhadores e reformados, mais as "acomodações" ainda a anunciar, irão parar às contas bancárias dos empresários. Será reconfortante ver passar um Ferrari (pelo menos em regiões deprimidas como a do Vale do Ave) e imaginar que talvez uma porca de um daqueles pneus seja o nosso subsídio de Natal.

2 comentários:

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

os empresários do Vale do Ave tinham em média 20 a 50 trabalhadores

não dava para Ferraris

quando tinha uns escassos anos anos tinha uma colega a quem o pai industrial do calçado lhe comprara um carro e uma casa com o lucro de uns meses da dta fábrica

nessa altura eu parvo como ainda sou

enchi-me de inveja por aquele gajo que dava 50 ou 60 salários mínimos e ganhava quase 1000 contos por mês

e investia uns 500 em obras de ampliação e máquinas

curiosamente quando morreu

morreu com ele a única empresa além da câmara que dava emprego ao pessoal lá na vilória xyz
algures perto da Sertã

resumindo deviam ser todos fuzilados esses gadjos....

esta é uma mensagem do centro da eugenia para o trabalho

patrões só se forem muito modestos

ou se forem do estado

Ferraris só de consultores e especuladores na construção civil

e gajos que compram terrenos a 100 contos o hectare
para os venderem para a construção de auto-estradas

na mouchi...pois na scaramouche

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

os tipos que faliram as minas de campo de Jales e do Pintor para não investirem mais e para não terem de pagar algumas dívidas

tinham Mercedes e BMW já com uns anos de uso, comprados na Alemanha em 2ª mão

tal como aquele Belmiro que anda com uma entourage atrás...nã eram gajos ostentatórios nos carritos

Ferraris é geralmente pessoal que vive das máquinas do estado
ou que compravam programas para a RTP