28/04/12

Sintoma da maré em mudança

Tribunal diz que entrega da casa ao banco salda toda a dívida. Veremos se fará jurisprudência. Se existirão mais juízes capazes de fazer efectiva justiça, afrontando a (até agora) toda-poderosa banca. Aqui ou na Islândia, a dívida é um garrote do qual nos temos de libertar.

3 comentários:

Nightwish disse...

Cuidado, a decisão só implica que a avaliação da casa não pode ser feita pelo banco antes de a vender apressadamente porque tal representa um aproveitamento indevido da fragilidade do devededor. (sejam lá quais forem os termos legais)
Não significa que toda a dívida fique saldada, apenas a parte correspondente ao real valor da casa.

Luis Rainha disse...

Estou farto de ver estas comparações sibilinas e insinuadas entre a nossa situação e a da Islândia.
Só falta que me digam onde é que pára o nosso alumínio.

Jef disse...

Corrijam-me se estiver errada: A Banca não é um negócio? Vamos privilegiar os incumpridores? Onde anda o bom senso? Cada caso é um caso e deverá ser analisado casuisticamente. Não me parece que se ganhe com a transformação da banca em novas imobiliárias que por sua vez transformarão o mercado a seu belo prazer.
Estamos em crise sim senhor, mas chega de procurar na Banca o Bode Expiatório para os nossos erros.