03/04/12

Uma campanha "alvarinha" da Conferência Episcopal Espanhola

Não é indispensável saber hebraico ou aramaico, ou sequer grego, para conjecturar que um cristão concluirá que melhor teria sido para a Conferência Epicospal Espanhola pendurar ao pescoço uma pedra de mó e atirar-se ao mar (Mateus, 18, 6), ou pelo menos automutilar-se e ficar coxa e maneta (Mateus, 18, 8), do que empreender a campanha de captação de seminaristas e promoção das vocações sacerdotais, de que se dá notícia a seguir, em termos que retomam tão obviamente a leitura pioneira que o ministro Álvaro Santos Pereira propôs há alguns anos do declínio do dinamismo apostólico de Braga ( aqui fica para quem não se recorde o essencial da sua tese: "Hoje em dia, a indústria de produção de sacerdotes bracarenses está em declínio”. (…) Porquê? (…) A grande causa do declínio da Igreja Católica em Portugal é simplesmente a falta de competitividade. A indústria de produção de padres perdeu competitividade, pois os custos de produção de novos sacerdotes são demasiado altos e o preço do sacerdócio é extremamente elevado" ). Dito isto, resta-nos esperar que, recordando, entre outras da "Palavra", as passagens de Mateus atrás citadas, os fiéis remedeiem, agindo evangelicamente em conformidade,  o esquecimento a que, em aras da razão económica, as votou a conferência dos seus pastores.

A Conferência Episcopal Espanhola tem uma nova campanha para captar seminaristas, promovendo o sacerdócio como um "trabalho fixo" que não promete "um bom ordenado" mas garante "riqueza eterna". O vídeo já foi visto por mais de 160 mil pessoas.

"Somos a única classe social que não tem desemprego. No ministério sacerdotal não há desemprego, temos muito trabalho e a paga está no Evangelho e depois na vida eterna", disse o bispo Juan José Asenjo ao jornal espanhol ABC.

No vídeo intitulado "Prometo-te uma vida apaixonante", o narrador começa por perguntar: "Quantas promessas te fizeram que nunca se cumpriram?". Depois surgem vários padres (apesar de tal só ser visível na parte final) com as suas próprias promessas. "Não te prometo um bom salário, prometo um trabalho fixo", diz um deles. "Não te prometo uma decisão fácil, prometo que nunca te arrependerás", diz outro.

A verdade é que, após nove anos em queda, o número de seminaristas aumentou em Espanha, chegando aos 1278. Aqueles que escolhem estudar num seminário têm direito a alojamento, comida, formação e estabilidade durante os seis anos do curso e depois um salário seguro. Em Espanha, o desemprego atinge mais de cinco milhões de pessoas.

O vídeo foi lançado por ocasião do Dia do Seminário, em meados de março. "Queriamos chegar às redes sociais, aos adolescentes e jovens que não vão à igreja e não leem os cartazes sobre os seminários", disse à BBC Mundo o presidente da Comissão Episcopal de Seminários e Universidades, Josep Ángel Sáiz.

1 comentários:

Nuno Gaspar disse...

O vídeo de apelo à vocação religiosa é lindíssimo. Foi pena terem-no estragado logo a seguir com estes pronunciamentos:

http://www.conferenciaepiscopal.es/index.php/actividades-noticias-doctrina/2682-notificaciones-sobre-algunas-obras-del-prof-andres-torres-queiruga.html