21/04/11

Palhaçada: mas como é que ele sabe, se não pôs lá os pés?

«O secretário-geral do PCP considerou hoje uma "fraude" as reuniões entre instituições internacionais e partidos sobre a ajuda externa a Portugal, afirmando que está em marcha uma "imposição" de condições de uma "troika mandante" a outra "obediente".»

11 comentários:

Anónimo disse...

Como se todos não soubéssemos ao que vem o FMI.

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

1º DEIXEM de chamar troika a um trio de recolhedores de opiniões

o acordo ortográfico aparentemente russificou-se com a crise

ó menos triunvirato

querer escapar a uma sondagem de opinião é perfeitamente normal

principalmente se não se tem nada a dizer

a informação e a troca de opiniões é necessária antes da tomada de decisões

infelizmente essa cultura de discussão
é ameaçada pelo chavão imediatista
do blogue ou do sms

não é possível trocar ideias com uma linha ou um parágrafo

e viagens mentais não se fazem com greves de pensamento

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

Anónimo disse...
Como se todos não soubéssemos ao que vem ...o anonimato das opiniões
apenas lança frases e simbologias obscuras

é como os horóscopos
há sempre alguém que se revê nelas

são os partidos do horóscopo
cristalizam o pensamento

Luis Rainha disse...

Também todos sabiam que o Sol andava à volta da Terra.

pling a lot disse...

e já não anda?

Luis Rainha disse...

Hoje não posso garantir nada, que ainda não o vi.

LAM disse...

Lá está: fazem-se opiniões com base em casos passados sem se dar ao trabalho de ouvir e expor outras ideias, para daí se construirem respostas com base em notícias de jornal. Entretanto deixam-se os argumentos de salvação aos que nos meteram no buraco. Quem é que os há-de levar a sério?

Miguel Serras Pereira disse...

Cuidado, caros Luís e LAM,
daqui a nada, aparece por aqui a alguém a dizer que vocês estão a pôr em causa o acerto da decisão do JS e do PCP, com o propósito de abalar a sua credibilidade aos olhos das massas, as quais, como se sabe, não podem deixar de se extraviar e ser derrotadas pelas palhaçadas da reacção se não tiverem uma fé a toda a prova no juízo dos seus dirigentes - ou seja, se ganharem a funesta mania de quererem outras provas que não sejam apenas a sua esclarecida palavra.
Preparem-se, pois, para o circo, camaradas.

Abraços

miguel (sp)

LAM disse...

Ontem vi o Louçã na tv e foi mais ou menos a mesma coisa: fixam-se nos termos usados com que vulgarmente se se refere às ditas reuniões (como "diálogo", "negociações"), e aos enquadramentos formais em que decisões podem ser tomadas (governo), e o que eles à letra significam, para abdicar do essencial que era a apresentação de preocupações e soluções alternativas e afirmar que parte significativa da população não aceita, nem a sua situação precária permite aceitar, o agravamento das condições sociais.

Miguel Serras Pereira disse...

Toda a razão, caro LAM. Chega a ser confrangedor ver como o Francisco Louçã parece rendido aos benefícios secundários do autismo cultivado pelo partido do seu émulo mais velho…
Aqui há tempos o Manuel António Pina aventava a hipótese muito convincente de Passos Coelho ser um agente do PS à frente do PSD (http://www.jn.pt/Opiniao/default.aspx?content_id=1829108&opiniao=Manuel%20Ant%F3nio%20Pina). O BE faria bem em perguntar-se, adoptando mutatis mutandis o raciocínio do MAP, quem serve Louçã com estas posições.

msp

LAM disse...

Miguel S.P.,
Sem querer especular sobre isso, o estranho é que é a esquerda que reivindica a rua que ficou espartilhada pelo formalismo.

abraço.