13/01/11

Onde estão os campeões do transporte do andor do Tratado de Lisboa?

Manuel Maria Carrilho, no DN:

Olhando agora para o desperdício de tempo e de oportunidades dos últimos anos, o Tratado de Lisboa aparece como uma boa ilustração dos equívocos em que se tem vivido. Vale a pena reler a abundância de declarações então feitas sobre o seu extraordinário significado, e compará-las com as suas insignificantes consequências. Vale a pena rever as caríssimas encenações que então se multiplicaram para glorificar um acordo que repetidamente se apresentava como "histórico" para o futuro da Europa, e confrontar toda essa tagarelice com os impasses em dominó que, justamente desde então, têm bloqueado a União Europeia.

E isto aconteceu muito simplesmente porque o Tratado de Lisboa passou completamente ao lado do grande problema da Europa, que era e continua a ser o do enorme desajuste entre as suas instituições e aquilo que hoje se exige de uma economia integrada. A tarefa era certamente muito difícil, mas era essa a tarefa que era decisivo assumir. Ignorá-la, como o Tratado de Lisboa acabou por fazer, só podia ter estas consequências.

(publicado também aqui)

2 comentários:

Sarcodina von Mastigophora disse...

que era e continua a ser o do enorme
aparelho burocrático que sustenta, mas quase sem nenhuma funcionalidade

um exército de funcionários e um

desajuste entre as instituições

e os povos que pretende representar

o problema é que poucos ou quase ninguém se revê nesses funcionários e nas instituições

parecem ser um mal desnecessário

logo exigir integração e um funcionamento quando ingleses alemães e franceses nunca viram
durante muito tempo interesse numa união monetária
e os dois últimos só a concretizaram nos últimos 8 anos

é querer demais

Niet disse...

Foi com extrema dificuldade que MM Carrilho se dignou realçar a " nobreza " de Manuel Alegre, no decorrer dos seus comentários na TVI...Fica-se sem saber se é apoiante de M. Alegre, ou não? Parece que ele, MMC, tinha planificada uma candidatura presidencial...A classe política alemã quer acabar com as regalias/mordomias/alcavalas dos eurodeputados. Vai ser lindo de ver... os "retornados" de Bruxelas! Niet