16/08/11

O mal pelo remédio

Há para aí quem diga que os assaltos e acções de destruição e agressão indiscriminada registados no Reino Unido são de tipo insurreccional e pré-revolucionários, porque aumentam as tensões do sistema, na medida em que põem em causa a propriedade privada, dificultam a vida ao governo e obrigam-no a recorrer a meios de excepção que revelam a sua verdadeira natureza, exprimem uma vontade anticapitalista e enfraquecem o Estado. Não surpreende, portanto, que os defensores de perspectivas semelhantes manifestem o seu zelo censurando quem os conteste, mas isso ainda é o menos, e fica registado só de passagem. O que importa notar é, em resumo, o seguinte:

— a apropriação privada dos bens privados de terceiros não põe em causa a propriedade privada, mas exprime a incapacidade de conceber alternativas à propriedade capitalista.

— o argumento que insiste na quebra da normalidade governamental por parte das autoridades, obrigadas a recorrer a meios de excepção que as desmascaram, lembra-me sempre um militante do MRPPP que, em 1974 ou 1975, me dizia que o golpe de Estado de Pinochet no Chile deixava as massas mais próximas da revolução do que o governo de Unidade Popular, pois que só podia ter por efeito dissipar as suas ilusões reformistas e a sua confiança nos partidos que as difundiam.

— os bandos guerreiros, que, na medida em que se organizam, o fazem em moldes despóticos por excelência, e escavam a ferro e fogo divisões no campo das camadas populares, que são os únicos potenciais agentes de qualquer movimento de democratização e alternativa às actuais relações de poder e ao actual monopólio do poder pelos aparelhos políticos e económicos governantes, longe de traduzirem qualquer vontade anticapitalista elementar, exprimem a vontade de uma dominação hierárquica exasperada até à demência, ao mesmo tempo que antecipam, se chegam a antecipar alguma coisa, uma espécie de regime de "senhores da guerra", ou de apoteose da razão da força bruta.

— quanto ao enfraquecimento do Estado, a sua inclusão na agenda da democracia só pode significar a extensão e reforço do exercício governante dos muitos, igualitária e responsavelmente organizados, contra o poder dos poucos e a divisão da sociedade em governantes e governados - quer dizer, tanto contra os actuais aparelhos de comando, como contra novas formas de monopolização dessa função por grupos ou corpos particulares, cuja supremacia ou intervenção assenta na sujeição do comum dos muitos.

Assim, se os acontecimentos no Reino Unido são, sem dúvida, sintomas da deterioração das condições da ordem estabelecida, são também sintomas da impotência da imaginação de alternativas e da apatia democrática que as actuais explosões apenas confirmam. E tomar esses sintomas por prenúncios da iminência da libertação é tomar o mal pelo remédio — ou o progresso da doença pelo processo de cura, a pretexto do facto de esse progresso revelar a natureza mórbida do regime de vida do qual a doença resultou.

1 comentários:

Pipoca Pipocando in Pipocal disse...

Pois ó pessoa com pelo menos 56 anos, o que não é mau, significa que excedeu as expectativas de sobrevivência média marxista, as do Durão Barroso foram significativamente menores.

lembra-me sempre um militante do MRPPP (o MRPP ultra-proletário presumo) que, em 1974 ou 1975, me dizia que o golpe de Estado de Pinochet no Chile deixava as massas mais próximas da revolução do que o governo de Unidade Popular

1º se ele disse isso em 74 ou 75
andava muito mal informado havia ditaduras que nasceram antes de setembro de 73 e mais repressivas e nem por isso cairam aos golpes dos revolucionários bem ou mal armados...

a maior parte dos regimes que cai cai porque ninguém quer morrer para os defender, sejam os de Mobutu ou os de gorbachev ou os de Papa Doc e seu Baby

Raras foram as revoluções que triunfaram sem repressão e mais raras ainda foram as que tiveram
melhorias significativas do modo de vida sem intervenção ou subsidiação exterior...

na realidade tirando a revolução americana

não estou vendo nenhuma em que os cidadãos tenham melhorado a sua vida nos 10 anos seguintes...e essas melhorias foram sempre temporárias desvanecendo-se nas décadas seguintes

como dizia um kripo da RDA em 1900 e tal mesmo que eu apanhasse todos os sabotadores económicos (termo que dá pra muita coisa) o que é qu'eu ganhava com isso...

Regimes Sociais Altruistas
só existem nas térmitas e nalguns himenópteros

É que a percentagem de hebefrénicos tende a ser baixa em qualquer sociedade humana

e é uma condição mental que pode ser induzida socialmente, mas não dura mucho...não dura não