15/03/11

No tempo do ultramar é que havia hinos de jeito


Cavaco Silva dixit: Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais ao futuro do país com a mesma coragem, o mesmo desprendimento e a mesma determinação com que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar.
Descoberto aqui (com banda-sonora e tudo)

4 comentários:

Grunho disse...

Porco.

LOUVA A GREVE PERMANENTE EM DEUS disse...

se o indivíduo que escreveu o discurso tivesse posto

a gloriosa geração que há 500 anos deu novos mundos ao mundo

ninguém se queixava

e se estes tinham mais massacre e medo na alma que a gloriosa campanha que desde 1895 tentou a conquista de territórios várias vezes conquistados e devassados em guerras tribais

que 100 anos depois continuam

é um filho do estado novo

não é sua culpa a endoutrinação
nem a aceitação passiva de um texto que não lhe fez soar nenhum alarme

joão viegas disse...

E a parte sobre a gratidão que devemos(*) ter para com os individuos de etnia africana que lutaram ao nosso(*) lado, ja leu ?

Cito de memoria o que li no Jugular. Mas va la ver que é mesmo assim : "de etnia africana", tal e qual. E somos todos culpados de termos deixado que esse animal fosse eleito para mais um mandato !

(*) A utilização abusiva da primeira pessoa do plural devia ser multada)

Ana Cristina Leonardo disse...

Louva a greve e etc
não é sua culpa a endoutrinação
nem a aceitação passiva de um texto que não lhe fez soar nenhum alarme

Bom, o homem esteve no Ultramar mas duvido que tenha acompanhado o Pedro Álvares Cabral ao Brasil

João Viegas
A utilização abusiva da primeira pessoa do plural devia ser multada

Excepto naquela expressão que eu adoro: We are not amuse (mas, afinal, o cavaco não é a rainha victoria)