09/03/11

Afinal foi a Leopoldina...


É só para dizer que, se não servirem para mais nada – se, porventura, não arrebatarem o troféu (ou lá o que é) em Dusseldorf –, os homens da luta tiveram pelo menos o mérito de levar Miguel S. Tavares a brindar-nos com este esclarecimento histórico decisivo:


Honra lhe seja feita.

8 comentários:

Miguel Serras Pereira disse...

Caríssimo e bem(re)aparecido João Pedro,

sim, dir-se-ia que as estrelas não nos são favoráveis - nem ao desabrochar das rosas da razão na cruz do presente.
Aos que querem ver ou fazer ver na vitória dos HL o avanço fulminante do espectro do comunismo reassombrando a Europa respondem os autores de uma petição que alerta para o perigo que o mesmo espectro representa para a Pátria e para a necessidade de o desbaratar.
À formulação um pouco sumária de que foi a rua que libertou os escravos responde o MST dizendo que não, que foi uma imperatriz - nem sequer o "despotismo iluminado"… - quem o fez. E do MST não se pode dizer que seja um ex-maoísta ou um neo-estalinista, o que sempre seria um princípio de explicação.
Que outras farsas se seguirão para alimentar o descontentamento deste nosso Inverno?

Abraço

miguel (sp)

João Pedro Cachopo disse...

Caríssimo Miguel,

Apesar de tudo o que se tem escrito, penso que ninguém vê na vitória dos HL um sinal do "avanço" do que quer que seja.
Mas – é como disse – bonito, bonito é ouvir tiradas como as do MST. Às reacções à coisa é que faz sentido dar atenção – digo eu.
Abraço

VÍTOR DIAS disse...

O Miguel Sousa Tavares anda a ir muito ao Brasil. E lá tem tempo para aprender história brasileira, coisa que, no lugar dele, eu não teria.

LAM disse...

"Às reacções à coisa é que faz sentido dar atenção – digo eu."

ora aí está!
Dos que menorizando o "fenómeno" não falam de outra coisa, aos maluquinhos que disto tiram profundas e convictas ilações políticas, o espectáculo está mesmo nas reacções.

Ana Cristina Leonardo disse...

A frase tem graça, é de efeito... mas é, além de tudo mais, uma calinada histórica: o decreto de abolição da escravatura foi assinado pela princesa Isabel

C. Vidal disse...

Bom post.

rui disse...

foi o momento Helena Matos do MST

Anónimo disse...

Acho que foi mais um momento Stilwell.

Renato T.